Brazilian Journal of Pulmonology

ISSN (on-line): 1806-3756 | ISSN (printed): 1806-3713

SBPT

Publication continuous and bimonthly

SCImago Journal & Country Rank
Advanced Search

 

Current Issue: 1998 - Volume 24 - Number 1 (January/February)

ORIGINAL ARTICLE

Relationship between aerobic fitness and clinical indicators of asthma severity in children

Relação entre capacidade aeróbia e indicadores clínicos da gravidade da asma em crianças

 

José Alberto Neder; Ana Luíza Godoy Fernandes; Antônio Carlos Silva; Anna Lúcia de Barros Cabral; Luiz Eduardo Nery

 

Abstract

In order to assess the relationship between the physical fitness of asthmatics and the clinical expression of the underlying disease, the authors studied 39 physically active children with moderate to severe but stable asthma. The patients (25 boys and 14 girls, aged between 9 and 16 years) were submitted to clinical evaluation; spirometry before and after bronchodilator (BD); maximal cardiopulmonary exercise test in cycle ergometer with breath-by-breath analysis of ventilatory and gas exchange variables; and, on a separate day, an exercise challenge test. As expected by the clinical stability, FEV1 post-BD was in the normal range in most of the children (mean ± SD = 93.8 ± 13.7% predicted). Maximal oxygen uptake (VO2max) was higher than the lower 95% confidence interval in 31/39 children; and in 29/39, the oxygen uptake at the anaerobic threshold (VO2AT) showed values above the lower limit of normality. Seven patients with low tolerance to exercise (reduced VO2max) presented suggestions of circulatory limitation (cardiovascular and/or peripheral) and only 1 had ventilatory limitation. There was no association or correlation between the lower ventilatory reserve (VEmax/MVV% ratio > 80%) and the decreased VO2max. Reduction in VO2AT, but not VO2max, was associated with some clinical indicators of asthma severity, e.g. (i) higher daily inhaled beclomethasone and frequent courses of oral steroids (p < 0.05) and (ii) higher exercise-induced bronchospasm occurrence (p < 0.01). The results show that (i) most patients with moderate to severe asthma, when clinically stable and physically active, present an adequate level of exercise tolerance; (ii) in estimation of the clinical severity of bronchial asthma in children, VO2AT is a better aerobic index than VO2max.

 

Resumo

Para avaliar a relação entre o desempenho cardiorrespiratório aeróbio de asmáticos e a expressão clínica da doença, os autores estudaram 39 crianças fisicamente ativas, com asma brônquica estável, de grau moderado a grave. Os pacientes (25 meninos e 14 meninas, com idade entre 9 e 16 anos) foram submetidos a avaliação clínica, espirometria pré e pós-broncodilatador (BD), teste de exercício cardiopulmonar máximo em cicloergômetro, com análise respiração por respiração da ventilação e das trocas gasosas. Num dia separado, foi realizado um teste de esforço para avaliar broncoespasmo induzido por exercício (BIE). Como esperado pela estabilidade clínica, o VEF1 pós-BD foi normal na maioria das crianças (média ± DP = 93,8 ± 13,7% previsto). O consumo máximo de oxigênio (VO2max) foi maior que o limite de normalidade (95% do intervalo de confiança) em 31 das 39 crianças; e em 29 de 39 o VO2max e o limiar anaeróbio (VO2LA) mostrou valores acima deste limite. Sete pacientes com baixa tolerância ao exercício (VO2max reduzido) tiveram sinais de limitação circulatória (cardiovascular e/ou periférica) e somente um teve limitação ventilatória. Não houve associação ou correlação entre a baixa reserva ventilatória (VEmax/VVM% > 80%) e valores reduzidos do VO2max. Redução no VO2LA mas não do VO2max foi associado com: (i) maior uso diário de beclometasona e freqüentes períodos de uso de corticosteróide oral (p < 0,05); e (ii) maior ocorrência de BIE (p < 0,01). Nossos resultados mostram que a maioria dos pacientes com asma moderada a grave, quando clinicamente estáveis e ativos, apresentam níveis adequados de tolerância ao exercício. Na avaliação de gravidade clínica da asma brônquica em crianças, VO2LA é um indicador aeróbio melhor que o VO2max.

 

 

Keywords: Asthma in children. Exercise tolerance. Maximal oxygen uptake. Anaerobic threshold. Physical fitness. Exercise-induced

 

Palavras-chave: Asma em crianças. Tolerância ao exercício. Consumo máximo de oxigênio. Limiar anaeróbico. Condição física. Broncoespasmos induzidos por exercício.

 

 

No content registered.

 

 


The Brazilian Journal of Pulmonology is indexed in:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Support

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretariat of the Brazilian Journal of Pulmonology
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2019 - Brazilian Thoracic Association

Logo GN1