Jornal Brasileiro de Pneumologia

ISSN (on-line): 1806-3756

ISSN (impressa): 1806-3713

SCImago Journal & Country Rank
Busca avançada

Ano 2018 - Volume 44  - Número 5  (Setembro/Outubro)

App





2 - Conhecimento do nosso pneumococo

Getting to know our pneumococcus

Fernando Luiz Cavalcanti Lundgren1,2,a

J Bras Pneumol.2018;44(5):343-344

PDF PT PDF EN English Text


4 - Global TB Network: trabalhando juntos para eliminar a tuberculose

Global TB Network: working together to eliminate tuberculosis

Denise Rossato Silva1,a, Adrian Rendon2,b, Jan-Willem Alffenaar3,c, Jeremiah Muhwa Chakaya4,5,d, Giovanni Sotgiu6,e, Susanna Esposito7,f, Giovanni Battista Migliori8,g

J Bras Pneumol.2018;44(5):347-349

PDF PT PDF EN English Text


Educação continuada: Imagem

6 - Massa paravertebral

Paravertebral mass

Edson Marchiori1,a, Bruno Hochhegger2,b, Gláucia Zanetti1,c

J Bras Pneumol.2018;44(5):352

PDF PT PDF EN English Text


Artigo Original

8 - Mortalidade por asma no Brasil, 1980-2012: uma perspectiva regional

Asthma mortality in Brazil, 1980-2012: a regional perspective

Thaís de Sá Brito1,a, Ronir Raggio Luiz2,b, José Roberto Lapa e Silva3,c, Hisbello da Silva Campos4,5,d

J Bras Pneumol.2018;44(5):354-360

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Estimar as taxas de mortalidade por asma no Brasil no período de 1980-2012. Métodos: A partir dos dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, as taxas de mortalidade foram estimadas pelo cálculo de médias móveis numa perspectiva municipal que permitisse a avaliação diferenciada entre Brasil urbano, rural e intermediário (rurbano) no período de 2002-2012. As tendências foram avaliadas através de regressão linear simples. Resultados: Em média, foram notificadas 2.339 mortes anuais por asma no período estudado. A asma variou entre 53ª e 95ª causa de óbito. Houve decréscimo das taxas de mortalidade no país: 1,92/100.000 habitantes em 1980 e 1,21/100.000 habitantes em 2012. Na perspectiva municipal, as taxas caíram no Brasil urbano e rurbano, mas aumentaram no Brasil rural, exceto na faixa etária de 5-34 anos. As taxas de mortalidade caíram na população com até 24 anos e aumentaram entre os maiores de 74 anos. O coeficiente de mortalidade foi sempre superior no sexo feminino. Conclusões: As taxas de mortalidade por asma estão diminuindo no Brasil de modo discreto, sendo mais marcante na década 2002-2012. Apenas a região Nordeste teve tendência oposta. As taxas de mortalidade no Brasil urbano e rurbano tiveram comportamento de queda semelhante ao do cenário nacional, enquanto o Brasil rural teve comportamento oposto. Quando consideradas as faixas etárias, as taxas diminuíram entre os mais jovens e aumentaram entre idosos ≥ 75 anos.

 


Palavras-chave: Asma/mortalidade; Brasil; População urbana; População rural.

 

9 - Cobertura vacinal pneumocócica teórica: análise de sorotipos isolados de pacientes internados em hospital terciário

Theoretical pneumococcal vaccine coverage: analysis of serotypes isolated from inpatients at a tertiary care hospital

Cynthia Rocha Dullius1,a, Luciana Zani2,b, José Miguel Chatkin2,c

J Bras Pneumol.2018;44(5):361-366

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar os sorotipos de Streptococcus pneumoniae isolados de uma população internada em um hospital terciário para verificar a cobertura vacinal teórica das vacinas conjugada pneumocócica 13-valente (VCP13) e pneumocócica polissacarídica 23-valente (VPP23). Métodos: Estudo transversal envolvendo 118 pacientes internados no Hospital São Lucas, na cidade de Porto Alegre (RS), cujas amostras de cultura de sangue, líquor ou outro líquido estéril apresentaram isolados de pneumococos entre janeiro de 2005 e dezembro de 2016. A cobertura vacinal teórica foi estudada em relação aos sorotipos observados na amostra e sua relação com os contidos nas vacinas pneumocócicas disponíveis no Brasil. Resultados: A maioria da população era masculina (n = 66; 55,9%), com mediana de idade de 57 anos (intervalo interquartil: 33-72 anos). O agravo mais frequente foi pneumonia, e o pneumococo foi mais frequentemente isolado em hemocultura. Mais de um quarto da população estudada tinha algum grau de imunossupressão (n = 34; 28,8%). Na amostra geral, 39 pacientes (33,1%) foram a óbito. Não houve associações significativas do número de óbitos com o tipo de comorbidades, internação em UTI ou necessidade de ventilação mecânica. A cobertura vacinal teórica da VPP23 e da combinação VCP13 + VPP23 foi de 31,4% e 50,8%, respectivamente. Conclusões: Nesta amostra, se os pacientes tivessem sido previamente vacinados com a combinação VCP13 seguida de VPP23, teoricamente, 50,8% dos casos de doença pneumocócica invasiva que necessitaram de internação hospitalar poderiam ter sido prevenidos potencialmente. Essa doença deve ser prevenida com a vacinação não só de crianças e idosos, mas também de adultos em idade economicamente ativa, para reduzir o custo socioeconômico, a morbidade e a mortalidade ainda associados à doença, especialmente em países subdesenvolvidos.

 


Palavras-chave: Infecções pneumocócicas; Sorotipagem; Centros de atenção terciária.

 

10 - Conhecimento e uso do cigarro eletrônico entre estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso

Electronic cigarette awareness and use among students at the Federal University of Mato Grosso, Brazil

Wemerson José Corrêa de Oliveira1,a, Alexandre Figueiredo Zobiole1,b, Claudia Bonadiman de Lima1,c, Rebeca Melo Zurita1,d, Pedro Eduarto Muniz Flores1,e, Luís Guilherme Val Rodrigues1,f, Raissa Carolina de Assis Pinheiro1,g, Victor Francisco Figueiredo Rocha Soares e Silva1,h

J Bras Pneumol.2018;44(5):367-369

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Analisar a prevalência do conhecimento e experimentação do cigarro eletrônico (CE) entre universitários, bem como as características associadas ao conhecimento desse tipo de dispositivo. Métodos: Estudo transversal, utilizando-se questionário específico, onde foram entrevistados 489 estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso (Campus Cuiabá) no ano de 2015. Estimou-se a prevalência e foram analisadas as principais características relacionadas ao conhecimento e uso do CE. Resultados: A prevalência de conhecimento do CE foi de 37%, e a taxa de experimentação foi de 2,7%. Verificou-se associação entre o conhecimento do CE com o estado civil, estado laboral do estudante, nível de escolaridade dos pais e presença de fumantes na família. Conclusões: Foi alta a proporção de universitários que conhecem o CE. Apesar de ser pequena a prevalência dos que o experimentaram, torna-se preocupante um possível aumento do consumo desse tipo de dispositivo. Medidas devem ser direcionadas aos jovens dentro das instituições universitárias a fim de promover a conscientização e prevenção do uso do CE.

 


Palavras-chave: Cigarros eletrônicos; Adulto jovem; Hábito de fumar.

 

11 - Avaliação da capacidade funcional: equações de referência para o teste Glittre Activities of Daily Living

Functional capacity measurement: reference equations for the Glittre Activities of Daily Living test

Cardine Martins dos Reis1,2,a, Manuela Karloh1,3,b, Fernanda Rodrigues Fonseca1,2,c, Roberta Rodolfo Mazzali Biscaro1,2,d, Giovana Zarpellon Mazo4,5,e, Anamaria Fleig Mayer1,2,3,5,f

J Bras Pneumol.2018;44(5):370-377

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Elaborar equações de referência para o teste Glittre Activities of Daily Living (Glittre ADL) com base em variáveis antropométricas e demográficas em indivíduos aparentemente saudáveis. O objetivo secundário foi determinar a confiabilidade das equações em uma amostra composta por pacientes com DPOC. Métodos: Estudo transversal com 190 indivíduos aparentemente saudáveis [95 homens; mediana de idade: 54,5 anos (variação: 42-65); mediana de VEF1 = 97% (variação: 91-105,2); mediana de CVF = 96% (variação: 88,5-102)] recrutados na comunidade geral e 74 pacientes com DPOC [55 homens; média de idade: 65 ± 8 anos; índice de massa corporal (IMC) = 25,9 ± 4,7 kg/m2; VEF1 = 36,1 ± 14,1%; CVF = 62,7 ± 16,1%] recrutados em um centro de reabilitação pulmonar. Resultados: A média do tempo necessário para completar o teste Glittre ADL foi de 2,84 ± 0,45 min. Na análise de regressão linear múltipla passo a passo (stepwise), a idade e a estatura foram selecionadas como preditores do desempenho no teste Glittre ADL, explicando 32,1% (p < 0,01) da variância total. A equação 1 foi a seguinte: Glittre ADLprevisto = 3,049 + (0,015 × idadeanos) + (−0,006 × alturacm). A equação 2 incluiu idade e IMC e explicou 32,3% da variância do teste: Glittre ADLprevisto = 1,558 + (0,018 × IMC) + (0,016 × idadeanos). Conclusões: As equações de referência para o tempo necessário para completar o teste Glittre ADL basearam-se na idade, IMC e estatura como variáveis independentes e podem ser úteis para prever o desempenho de indivíduos adultos. Os valores previstos são aparentemente confiáveis quando aplicados em pacientes com DPOC.

 


Palavras-chave: Atividades cotidianas; Teste de esforço; Valores de referência.

 

12 - O azul de metileno atenua a inflamação em pulmões não isquêmicos após transplante pulmonar?

Does methylene blue attenuate inflammation in nonischemic lungs after lung transplantation?

Marcus da Matta Abreu1,a, Francine Maria de Almeida1,b, Kelli Borges dos Santos2,c, Emílio Augusto Campos Pereira de Assis3,d, Rafael Kenji Fonseca Hamada4,e, Fabio Biscegli Jatene1,f, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes1,g, Rogerio Pazetti1,h

J Bras Pneumol.2018;44(5):378-382

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Avaliar se o azul de metileno (AM) pode minimizar os efeitos da lesão de isquemia-reperfusão sobre o pulmão não isquêmico em um modelo de transplante pulmonar em roedores. Métodos: Quarenta ratas Sprague-Dawley foram divididas em 20 doadoras e 20 receptoras. As 20 ratas receptoras foram divididas em dois grupos (n = 10) de acordo com o tratamento (solução salina a 0,9% vs. AM a 1%). Todos os animais foram submetidos a transplante pulmonar unilateral. As receptoras receberam 2 ml de solução salina ou de AM por via intraperitoneal antes do transplante. Após 2 h de reperfusão, os animais foram sacrificados, e foram realizadas análises histopatológicas e imuno-histoquímicas no pulmão não isquêmico. Resultados: Houve diminuição significativa da inflamação - a contagem de neutrófilos e a expressão de intercellular adhesion molecule-1 (ICAM-1, molécula de adesão intercelular-1) foram maiores no grupo salina em comparação com o grupo AM - e da apoptose - a expressão de caspase-3 foi maior no grupo salina, e a expressão de Bcl-2 foi maior no grupo AM. Conclusões: O AM é uma droga eficaz para a proteção de pulmões não isquêmicos contra inflamação e apoptose após transplante pulmonar unilateral em ratos.

 


Palavras-chave: Traumatismo por reperfusão; Azul de metileno; Transplante de pulmão; Apoptose; Inflamação.

 

13 - Perfil dos pacientes com mutação no gene da alfa-1 antitripsina em um centro de referência no Brasil

The patient profile of individuals with Alpha-1 antitrypsine gene mutations at a referral center in Brazil

Manuela Brisot Felisbino1,a, Frederico Leon Arrabal Fernandes2,b, Maria Cecília Nieves Maiorano de Nucci2,c, Regina Maria de Carvalho Pinto2,d, Emilio Pizzichini1,e, Alberto Cukier2,f

J Bras Pneumol.2018;44(5):383-389

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Caracterização clínica, funcional, radiológica e genotípica dos pacientes portadores de mutações do gene da alfa-1 antitripsina (A1AT) em um centro de referência em doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) no Brasil. Métodos: Estudo transversal de pacientes com mutação no gene da A1AT compatível com deficiência. Foram avaliadas características genotípicas, demográficas, clínicas, tomográficas, de função pulmonar, e dosagem de A1AT. Resultados: De 43 pacientes suspeitos para deficiência de alfa-1 antitripsina (DA1AT), a doença foi confirmada por genotipagem em 27. A mediana da dosagem de A1AT foi de 45 mg/dL, e 4 pacientes (15%) apresentavam dosagens normais. A idade mediana foi de 54 anos, 63% dos participantes eram do sexo masculino e a idade do início dos sintomas prevalente foi aos 40 anos. A mediana do volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) foi de 1,37 L (43% do previsto). Enfisema tomográfico foi encontrado em 77,8% dos indivíduos, sendo panlobular em 76% e de predomínio em lobos inferiores em 48%. A frequência de bronquiectasias foi de 52%, e a de espessamento brônquico, de 81,5%. O genótipo mais encontrado foi Pi*ZZ (40,7%). Os demais genótipos foram: Pi*SZ (18,5%), Pi*M1Z (14,8%), Pi*M1S (7,4%), Pi*M2Z (3,7%), Pi*M1I (3,7%), Pi*ZMnichinan (3,7%), Pi*M3Plowell (3,7%) e Pi*SF (3,7%). Não encontramos diferença significativa para idade, carga tabágica, VEF1 e presença de bronquiectasias entre os grupos com dosagem de A1AT normal versus alterada, nem entre 1 alelo versus 2 alelos com mutação para DA1AT. Conclusões: Nossos pacientes apresentaram alta frequência de enfisema, bronquiectasias e espessamento brônquico, com início precoce dos sintomas respiratórios. O genótipo mais frequente foi Pi*ZZ, embora genótipos heterozigotos e níveis normais de A1AT também tenham se manifestado com doença pulmonar significativa.

 


Palavras-chave: Alfa 1-antitripsina; Enfisema; Alelos.

 

14 - Impacto da adesão à oxigenoterapia de longa duração em pacientes com DPOC e hipoxemia decorrente do esforço acompanhados durante um ano

Impact of adherence to long-term oxygen therapy on patients with COPD and exertional hypoxemia followed for one year

Carolina Bonfanti Mesquita1,a, Caroline Knaut1,b, Laura Miranda de Oliveira Caram1,c, Renata Ferrari1,d, Silmeia Garcia Zanati Bazan2,e, Irma Godoy1,f, Suzana Erico Tanni3,g

J Bras Pneumol.2018;44(5):390-397

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Determinar o impacto da adesão à oxigenoterapia de longa duração (OLD) na qualidade de vida, dispneia e capacidade de exercício em pacientes com DPOC e hipoxemia decorrente do esforço acompanhados durante um ano. Métodos: Foram incluídos no estudo pacientes que apresentaram hipoxemia grave durante um teste de caminhada de seis minutos (TC6) realizado enquanto respiravam ar ambiente, mas não em repouso. No início e após um ano de acompanhamento, todos os pacientes foram avaliados quanto a comorbidades, composição corporal, SpO2 e dispneia, bem como quanto a ansiedade e depressão, além de terem sido submetidos a espirometria, gasometria arterial e TC6 com oxigênio suplementar. O Saint George's Respiratory Questionnaire (SGRQ) foi usado para avaliar a qualidade de vida, e o índice Body mass index, airflow Obstruction, Dyspnea, and Exercise capacity (BODE; índice de massa corporal, obstrução do fluxo aéreo, dispneia e capacidade de exercício) foi calculado. A frequência de exacerbações e a taxa de mortalidade foram registradas. Usar OLD durante < 12 h por dia ou não usar OLD durante o exercício caracterizaram não adesão ao tratamento. Resultados: Foram incluídos no estudo 60 pacientes com DPOC e hipoxemia decorrente do esforço. Destes, 10 morreram e 11 apresentaram hipoxemia grave durante o acompanhamento; portanto, foram incluídos na análise final 39 pacientes. Destes, apenas 18 (46,1%) aderiram à OLD, apresentando melhor pontuação no SGRQ, maior SpO2 e menor PaCO2 do que os pacientes que não aderiram à OLD. Em todos os pacientes, a SaO2, a distância percorrida no TC6 e o índice BODE pioraram após um ano. Não houve diferenças entre as proporções de adesão à OLD aos 3 e 12 meses de acompanhamento. Conclusões: A qualidade de vida parece ser menor em pacientes com DPOC e hipoxemia decorrente do esforço que não aderem à OLD do que naqueles que o fazem. Além disso, a OLD parece ter efeito benéfico nos sintomas da DPOC (avaliados pela pontuação obtida no SGRQ). (Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos - ReBEC; número de identificação RBR‑ 9b4v63 [http://www.ensaiosclinicos.gov.br])

 


Palavras-chave: Insuficiência respiratória; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Cooperação do paciente; Hipóxia; Oxigenoterapia.

 

15 - Descumprimento da lei que proíbe a venda de cigarros para menores de idade no Brasil: uma verdade inconveniente

Noncompliance with the law prohibiting the sale of cigarettes to minors in Brazil: an inconvenient truth

André Salem Szklo1,a,Tânia Maria Cavalcante2,b

J Bras Pneumol.2018;44(5):398-404

Resumo PDF PT PDF EN English Text

Objetivo: Fornecer um cenário atualizado do cumprimento da lei que proíbe a venda de cigarros para menores de 18 anos de idade. Métodos: Foram utilizados dados de acesso à compra de cigarros obtidos por meio de uma pesquisa de âmbito nacional, realizada em 2015, entre jovens escolares de 13 a 17 anos. Foram estimadas as proporções simples de tentativa de comprar cigarros; sucesso dessa tentativa; compra regular de cigarros; e compra regular de cigarros em lojas ou botequins. Todas as estimativas foram estratificadas por sexo, faixa etária e macrorregiões brasileiras. Para avaliar as diferenças absolutas, brutas e ajustadas, das proporções das categorias consideradas em relação às variáveis analisadas, foi utilizado um modelo linear generalizado com distribuição binomial e função de ligação identidade. Resultados: Aproximadamente 7 em cada 10 fumantes adolescentes tentaram comprar cigarros pelo menos em uma ocasião nos 30 dias anteriores à pesquisa. Desses, aproximadamente 9 em cada 10 obtiveram sucesso, sendo que jovens entre 16-17 anos (vs. 13-15 anos) foram menos impedidos de comprar cigarros (diferença absoluta ajustada = 8,1%; p ≤ 0,05). Aproximadamente 45% de todos os fumantes brasileiros entre 13 e 17 anos de idade referiram ter comprado regularmente os seus próprios cigarros sem serem impedidos, e, desses, 80% relataram tê-los comprado em lojas/botequins (vs. vendedores ambulantes). Conclusões: Nossos achados trazem um importante alerta de saúde pública e podem contribuir para apoiar ações educativas e de fiscalização no sentido de reforçar o cumprimento das leis antitabaco já existentes no Brasil, que vêm sendo desrespeitadas.

 


Palavras-chave: Fumar/epidemiologia; Fumar/legislação & jurisprudência; Comportamento do adolescente; Saúde pública.

 

Artigo Especial

16 - Recomendações para o manejo da pneumonia adquirida na comunidade 2018

2018 recommendations for the management of community acquired pneumonia

Ricardo de Amorim Corrêa1,a, Andre Nathan Costa2,b, Fernando Lundgren3.c, Lessandra Michelim4,d, Mara Rúbia Figueiredo5,e, Marcelo Holanda6,f, Mauro Gomes7,g, Paulo José Zimermann Teixeira8,h, Ricardo Martins9,i, Rodney Silva10,j, Rodrigo Abensur Athanazio2,k, Rosemeri Maurici da Silva11,l, Mônica Corso Pereira12,m

J Bras Pneumol.2018;44(5):405-423

Resumo PDF PT PDF EN English Text

A pneumonia adquirida na comunidade (PAC) constitui a principal causa de morte no mundo. Apesar da vasta microbiota respiratória, o Streptococcus pneumoniae permanece como a bactéria de maior prevalência dentre os agentes etiológicos. Apesar da redução significativa das taxas de mortalidade por infecções do trato respiratório inferior nas últimas décadas, a PAC ocupa o terceiro lugar como causa de mortalidade em nosso meio. Desde a última publicação das Diretrizes Brasileiras sobre PAC da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (2009), houve importantes avanços na aplicação dos exames de imagem, na investigação etiológica, na estratificação de risco à admissão e de escores prognósticos evolutivos, no uso de biomarcadores e nas recomendações de antibioticoterapia (e sua duração) e da prevenção por vacinas. Para revisar esses tópicos, a Comissão de Infecções Respiratórias da SBPT reuniu 13 membros com reconhecida experiência em PAC no Brasil que identificaram aspectos relevantes à prática clínica que demandam atualizações frente às novas evidências epidemiológicas e científicas publicadas. Foram determinados doze tópicos envolvendo questões diagnósticas, prognósticas, terapêuticas e preventivas. Os tópicos foram divididos entre os autores, que realizaram uma revisão de forma não sistemática da literatura, porém priorizando as principais publicações nas áreas específicas, incluindo artigos originais, artigos de revisão e revisões sistemáticas. Todos os autores tiveram a oportunidade de revisar e opinar sobre todas as questões, criando um documento único final que foi aprovado por consenso.

 


Palavras-chave: Pneumonia/diagnóstico; Pneumonia/prevenção & controle; Pneumonia/terapia; Pneumonia/tratamento farmacológico.

 

Artigo de Revisão

17 - Microbioma pulmonar: desafios de um novo paradigma

The pulmonary microbiome: challenges of a new paradigm

André Nathan Costa1,a, Felipe Marques da Costa1,b, Silvia Vidal Campos1,c, Roberta Karla Salles1,d, Rodrigo Abensur Athanazio1,e

J Bras Pneumol.2018;44(5):424-432

Resumo PDF PT PDF EN English Text

O estudo do microbioma humano - e, mais recentemente, o do sistema respiratório - através de sofisticadas técnicas de biologia molecular, desvendou a imensa diversidade de colonização microbiana nos seres humanos, sejam saudáveis, sejam portadores de diferentes doenças. Aparentemente, ao contrário do que se acreditava, existe uma colonização não patogênica dos pulmões por microrganismos, como bactérias, fungos e vírus. Esse microbioma pulmonar fisiológico apresenta uma densidade baixa de colônias, porém uma elevada diversidade; por outro lado, alguns estados patológicos levam a uma perda dessa diversidade, com aumento da concentração de alguns gêneros bacterianos em detrimento de outros. Ainda, além do conhecimento qualitativo das bactérias presentes no pulmão em diversos estados de saúde ou de doença, o conhecimento avança para o entendimento da interação que essa microbiota tem com o sistema imune local e sistêmico, modulando a resposta imunológica. Compreendendo essa intrínseca relação entre a microbiota e os pulmões, estudos apresentam novos conceitos sobre os mecanismos fisiopatogênicos da homeostase do sistema respiratório e a possível disbiose em estado de algumas doenças, como fibrose cística, DPOC, asma e doenças intersticiais. Essa quebra de paradigma do conhecimento da microbiota presente nos pulmões fez com que se torne premente entender melhor o papel do microbioma para identificar possíveis alvos terapêuticos e abordagens clínicas inovadoras. Através desse novo salto de conhecimento é que os resultados dos estudos preliminares poderão ser traduzidos em benefícios aos nossos pacientes.

 


Palavras-chave: Microbiota; Microbiologia; Sistema imunológico.

 

Imagens em Pneumologia

18 - Síndrome de Hamman

Hamman's syndrome

João Filipe Alves Mesquita Rosinhas1,a, Sara Maria Castelo Branco Soares1,b, Adelina Branca Madeira Pereira2,c

J Bras Pneumol.2018;44(5):433

PDF PT PDF EN English Text


Resposta do autor

20 - Resposta dos autores

Authors' reply

José Tadeu Colares Monteiro1,a

J Bras Pneumol.2018;44(5):435

PDF PT PDF EN English Text


22 - Omalizumabe como terapia adicional no tratamento da aspergilose broncopulmonar alérgica em asmáticos

Omalizumab as add-on therapy in patients with asthma and allergic bronchopulmonary aspergillosis

Fernanda Sales da Cunha1,a, Solange Oliveira Rodrigues Valle1,b, José Elabras Filho1,c, Sérgio Duarte Dortas Júnior1,2,d, Alfeu Tavares França1,e

J Bras Pneumol.2018;44(5):439-441

PDF PT PDF EN English Text


23 - Transplante pulmonar com oxigenação extracorpórea por membrana como suporte intraoperatório

Lung transplantation with extracorporeal membrane oxygenation as intraoperative support

Mariana Schettini-Soares1,a, Pedro Henrique Cunha Leite1,b, Ludhmila Abrahão Hajjar2,c, André Nathan Costa3,d, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes1,e, Marcos Naoyuki Samano1,f

J Bras Pneumol.2018;44(5):442-444

PDF PT PDF EN English Text


 


O Jornal Brasileiro de Pneumologia está indexado em:

Latindex Lilacs SciELO PubMed ISI Scopus Copernicus pmc

Apoio

CNPq, Capes, Ministério da Educação, Ministério da Ciência e Tecnologia, Governo Federal, Brasil, País Rico é País sem Pobreza
Secretaria do Jornal Brasileiro de Pneumologia
SCS Quadra 01, Bloco K, Salas 203/204 Ed. Denasa. CEP: 70.398-900 - Brasília - DF
Fone/fax: 0800 61 6218/ (55) (61) 3245 1030/ (55) (61) 3245 6218
E-mails: jbp@jbp.org.br
jpneumo@jornaldepneumologia.com.br

Copyright 2018 - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Logo GN1